Covid19

Grávida evacuada do Sal para S. Vicente infectada com Covid-19

Uma grávida evacuada da ilha do Sal para o Hospital Baptista de Sousa acusou a presença de anticorpos num teste de Covid-19 realizado hoje. Neste momento, a direcção do HBS está apenas a aguardar uma análise molecular PCR para ter uma confirmação definitiva de um caso de contaminação pelo novo coronavírus.

Segundo Ana Brito, a mulher, na casa dos 30 anos, veio evacuada do Sal na quarta-feira devido a complicações na gravidez. Esta começou a apresentar dificuldades respiratórias, foi submetida a uma radiografia, que acusou a presença de uma pneumonia, e depois a testes de sangue e de anticorpos à Covid-19. Os resultados foram positivos, pelo que agora o HBS está a aguardar o exame PCR, que será efectuado na cidade da Praia.

Perante este alerta, as autoridades sanitárias começaram a agir no sentido de identificar as pessoas que estiveram em contacto com a paciente, nomeadamente um condutor, enfermeiros e médicos, que serão colocados de quarentena. Além disso, o HBS comunicou o caso à sua congénere do Sal para tomar as medidas que a situação exige.

Segundo Ana Brito, não havendo casos de Covid-19 no Sal é estranho o surgimento desta situação. Para ela é fundamental um rastreio e que se venha a descobrir como foi possível a contaminação, procedimento que, diz, cabe em primeira mão aos serviços de saúde da ilha do Sal.

A grávida saiu directamente do aeroporto Cesária Évora para o hospital Baptista de Sousa, pelo que terá mantido contacto fundamentalmente com técnicos de saúde. Resta, no entanto, saber quantos passageiros estavam no voo que a trouxe da ilha do Sal.

Devido a esse diagnóstico, a mulher ainda não foi submetida a cesariana. Este caso vem aumentar para 4 o número de pessoas oficialmente infectadas com o coronavírus em S. Vicente. A ilha estava livre do Covid-19 desde que a paciente de nacionalidade chinesa recebeu alta e a normalidade estava a regressar ao quotidiano dos mindelenses. Agora surge um novo perigo no horizonte.

 18,308 total views,  1,463 views today

CVInterilhas

Transporte de passageiros por via marítima liberado a partir de 30 de Junho

As ligações marítimas para transporte de passageiros entre todas as ilhas de Cabo Verde serão retomadas a partir de 30 de junho. O desconfinamento da Boa Vista e Santiago, as duas única ilhas ainda com restrições impostas pelo estado de calamidade, terminam a 01 e 30 de junho, respectivamente. 

Esta informação foi avançada pelo Primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, numa publicação na sua pagina no facebook. Este aproveitou para saudar a ilha de Santiago pelo fim do estado de emergência, resultado resultado do bom combate desenvolvido até agora para conter a propagação da Covid-19. Advertiu, no entanto, que a ilha continua com ocorrências de casos positivos pelo que todos os cuidados são poucos.

Exactamente por esse motivo, mantêm-se algumas restrições, com destaque para a interdição do transporte marítimo e aéreo de passageiros com origem e destino em Santiago, a interdição do acesso e frequência às praias de mar e a interdição do funcionamento de bares. “O levantamento das restrições previstas no plano de desconfinamento tem uma calendarização diferente para Santiago em relação às outras ilhas”, indica.

O PM prossegue dizendo que, na cidade da Praia, serão continuadas as acções em curso nos diversos bairros mediante a massificação da realização de testes rápidos e testes laboratoriais, do reforço da fiscalização e da sensibilização comunitária. Entretanto, o Governo aprovou um plano de desconfinamento que levanta restrições impostas pelo estado de calamidade, de uma forma programada e calendarizada.

Este contempla restrições relacionadas com a limitação do horário de funcionamento dos restaurantes fixada até às 21 horas, que serão levantadas no dia 1 de junho, em todo o território nacional. “As ligações aéreas interilhas serão retomadas a partir do dia 30 de Junho, incluindo Santiago. As marítimas para o transporte de passageiros, com origem e destino na Boa Vista, são retomadas a partir do dia 1 de Junho, enquanto que as que as de Santiago, serão retomadas a partir do dia 30 de Junho”, detalha. 

Relativamente aos eventos culturais e desportivos como festas, festivais e jogos das diversas modalidades, Ulisses Correia e Silva deixa claro que só serão retomadas no dia 31 de outubro. 

 1,424 total views,  665 views today

Corpos camioes

Funerárias processadas por guardarem cadáveres em camiões

As agências Andrew T. Cleckley, DeKalb e Armistead Burial em Nova Iorque estão a ser processadas  por armazenarem corpos nos camiões frigoríficos até ser possível realizar os funerais. Foi a alternativa encontrada por estas agencias devido ao grande número de mortes causadas pela Covid-19.

Três processos foram movidos por, pelo menos, três famílias, depois de as autoridades terem encontrado os corpos de familiares em camiões frigoríficos, no final de abril, noticiou o canal de televisão NY1.

As três agências não tinham um relacionamento comercial formal, mas um representante da Armistead admitiu à NY1 existir um “acordo de cavalheiros” para enviar clientes de uma agência funerária para outra, caso seja necessário.

No cia 30 de abril, a polícia de Nova Iorque encontrou cerca de 100 cadáveres sem refrigeração em quatro camiões frigoríficos que a agência funerária Andrew T. Cleckley alugou para responder ao acréscimo de pedidos de funerais, por causa da covid-19. No início de maio, as autoridades retiraram a licença à agência.

“Após uma investigação do departamento de Saúde do Estado de Nova Iorque, emiti uma ordem de suspensão imediata para a agência funerária Andrew T. Cleckley, em Brooklyn, cujas ações foram terríveis, desrespeitosas para com as famílias dos mortos e completamente inaceitáveis”, afirmou então, em comunicado, o comissário de Saúde, Howard Zucker.“Uma crise não é desculpa para o tipo de comportamento que testemunhámos”, acrescentou.

Os EUA são o país com mais mortos – mais de 101 mil – e mais casos de infeção – mais de 1,7 milhões. A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 357 mil mortos e infetou mais de 5,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Fonte:DN.PT

 162 total views,  43 views today

HBS-Urgencia-1161x600

Mãe implora por cirurgia para filha menor em sofrimento há cerca de um ano

Desesperada, e sem ter a quem mais pedir socorro, LL procurou o Mindelinsite para suplicar por uma cirurgia para a filha de três anos em sofrimento. Esta mãe conta que há cerca de um ano a menina teve um sangramento enquanto estava no jardim. Chamada de urgência, levou a criança para o Hospital Baptista de Sousa. Inicialmente pensaram tratar-se de um caso de violação, mas foi logo descartada. Desde então, LL corre atrás dos médicos do HBS, primeiro para consultas, depois para diagnóstico e uma cirurgia, que vem sendo marcada e remarcada sistematicamente. Enquanto isso, o sofrimento da filha só aumenta. 

Segundo LL, o calvário da menor começou no dia 14 de março de 2019. Na altura, a criança tinha três anos e sofreu um sangramento. “Levei a minha filha para a Pediatria do HBS e fomos encaminhados para a Maternidade porque havia uma suspeita de violação, que entretanto foi descartada. Não conseguiram determinar as razões do sangramento, pelo que decidiram aplicar-lhe uma injecção. O sangue parou de cair, mas surgiu uma espécie de bolsa na vagina da minha fila, onde passou a acumular. E a bolsa tem vindo a crescer. Voltei ao hospital e agendaram um cirurgia, que nunca aconteceu.”

Desde então, prossegue tenta desesperadamente marcar uma data para esta intervenção porque a filha está a sofrer. “A cirurgia já foi marcada e remarcada diversas vezes. Fizemos inúmeras consultas e exames e acabaram por diagnosticar que a minha filha tem as hormonas aceleradas. Não sei se é uma doença, mas sei que a minha menina está a sofrer. A ‘bolsa’ que surgiu na sua vagina coça e tem mau cheiro. Faço de tudo para minimizar o seu sofrimento, mas ela começa a andar com dificuldades e tem vergonha de sair à rua. É algo que incomoda. Fui ao hospital e recomendaram que fizesse a sua higiene apenas com água e que aplicasse uma pomada. Mas continua tudo igual.”

A gota de água que fez “transbordar o copo” foi um novo adiamento da cirurgia. LL diz não entender por quê estão a impor tanto sofrimento a uma criança de apenas três anos, que não entende o que se passa. “Estou eternamente na lista de espera, quando percebo que o problema da minha filha é urgente. A bolsa está a crescer o os incómodos também, inclusive agora ela começou a ter corrimento. A sua médica garante que o corrimento é por causa do seu problema, que acredito que se agrava mais devido a nossa condição económica”, revela esta mulher de 37 anos e mãe de seis filhos. 

Esta conta que a sua família vive numa casa de lata atrás do Cemitério, o que dificulta a higienização da menor. “Tento fazer a sua higiene de dez em dez minutos, mas não adianta muito. Fui pedir ajuda à Câmara Municipal de São Vicente, mas deram-me apenas uma cesta básica. É claro que preciso de alimentos, mas neste momento a prioridade é a saude da minha filha. Acredito que os médicos têm filhos, então olhem para a minha filha. Estou de mão atadas, mas não quero continuar a ver o seu sofrimento”, desabafa. 

O Mindelinsite abordou a direcção clínica do HBS para expor esta situação e levantar uma série de questões. O director clínico prometeu prestar todos os esclarecimentos, mas pediu um tempo para consultar o processo, pelo que voltaremos ao assunto assim que recebermos as respostas. 

 3,502 total views,  705 views today

Detido

Detidos dois suspeitos de abuso sexual de menor na Boa Vista

Foi detido esta quarta-feira, 27, dois indivíduos, de 19 e 28 anos, suspeitos da pratica reiterada de um crime de abuso sexual de uma menor. Em comunicado, a Policia Judiciaria informa que a detenção aconteceu fora de flagrante delito na cidade de Sal-Rei, ilha das Dunas. 

Os dois indivíduos são naturais dos concelhos de Santa Cruz e da Praia, ilha de Santiago. Estes terão abusado sexualmente desta criança, menor de 14 anos, de forma reiterada na cidade turística de Sal-Rei. 

Detido ontem, foram imediatamente presentes às autoridades judiciais para primeiro interrogatório de arguido detido e aplicação de medida de coação.

 481 total views,  43 views today

Caixa Economica assalto

Nenhum suspeito ainda detido pelo assalto à mão armada na CECV

A Polícia Judiciária garante, 24 horas depois, que ainda ninguém foi detido pela autoria do assalto à mão armada ocorrido no início da manhã de ontem na agência da Caixa Económica de Cabo Verde em Fonte Cônego, em São Vicente. O crime foi cometido por um indivíduo que chegou na agência de moto, entrou no banco e saiu com cerca de mil contos, depois de efectuar pelo menos três disparos com uma arma de fogo.

Surpreendidos com a ousadia do assalto, feito em plena luz do dia, a direcção da Caixa Económica em S. Vicente, a Polícia Judiciária e a Polícia Nacional recusaram prestar qualquer informação ontem, não obstante o grande aparato no terreno. Desde esse dia que está a ser apontado um suspeito nas redes sociais, que alegadamente terá sido identificado através de imagens do circuito de vigilância interno daquela agência bancária. Além disso correm rumores que a motorizada utilizada para facilitar a fuga foi também reconhecida por testemunhas oculares. 

Na sequência dos acontecimentos, o artesão mindelense Jorge Gomes publicou na sua página um desabafo criticando uma abordagem feita pela Polícia Nacional, que, conforme relata, chegou ao seu ateliê em duas viaturas, facto que terá chamado a atenção de muitas pessoas. De acordo com Gomes, os agentes foram ao seu local de trabalho, na rua 24 de Setembro, para ver se era ele o autor do roubo. Isto porque, conta, desceu do autocarro com um envelope nas mãos que continha uma máscara. 

“Um simples civil a desviar a investigação dos policiais por causa de um envelope amarelo com uma máscara. O assaltante fugiu de moto com capacete e eu nem sequer sei andar de moto”, escreveu, dizendo que ficou triste e envergonhado com a actuação da PN que, diz, estragou o seu dia. A publicação mereceu resposta de um agente da Polícia Nacional, que explicou que receberam uma denúncia e foram investigar, inclusive foram para o local acompanhados do denunciante. Perante os factos, este agente entende que a PN não tem razão nenhuma para pedir desculpas ao artesão.

O Mindelinsite abordou a Policia Nacional esta manhã, que remeteu qualquer esclarecimento sobre este caso à PJ. Entretanto, a Judiciária negou ter detido qualquer pessoa até o momento. Esta polícia de investigação garantiu que estão a trabalhar em permanência no terreno para resolver o caso. Entretanto, essa fonte da PJ confirma que o meliante conseguiu levar cerca de mil contos do banco. 

 2,093 total views,  73 views today

Mindelo Cidade

Cabo Verde com mais de dez mil empresas activas, que geraram 297 milhões de contos em 2018

Existiam em Cabo Verde, em 2018, um total de 10.390 empresas activas, mais 4,6% em relação ao ano de 2017, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE) no Inquérito Anual às Empresas (IAE). Este estudo, feito a nível nacional e com nível de confiança de 95%, revela ainda que estas empregaram pouco mais de 70 mil pessoas, das quais 58,3% são homens e 41,7% mulheres.

Este inquérito aponta ainda que o volume de negócios gerado por estas empresas foi superior a 297 milhões de contos e destaca as ilhas do Fogo e Brava com um forte acréscimo de empresas activas no ano de 2018, comparativamente ao ano anterior. Contrariamente, na ilha de São Nicolau registou-se uma diminuição significativa. “As empresas activas no arquipélago empregaram 70 864 pessoas, destes, 58,3% são homens e 41,7% mulheres. Registou-se uma diminuição de 1,4% do Número de pessoas ao serviço, comparativamente ao ano 2017”, detalha.

O IAE assegura ainda que Sal, Fogo e Santo Antão foram as ilhas onde se registaram maior aumento do número de pessoas ao serviço, comparativamente ao ano de 2017. No sentido inverso, aparece as ilhas do Maio, Boa Vista e São Nicolau. Já o volume de negócios naquele ano económico representou um acréscimo de 7,5% relativamente a 2017, com a ilha do Vulcão a destacar com um crescimento de 31,8%. 

Entre as empresas activas, as sem contabilidade organizadas representa cerca de 66%, enquanto que as com contabilidade organizada contabilizam 76% do total de pessoal ao serviço. “As empresas Com Contabilidade Organizada geraram mais de 280 milhões de contos contra os pouco mais de 16 milhões de contos em relação as empresas Sem Contabilidade Organizada. Cerca de 71% das empresas ativas em Cabo Verde são empresas em Nome Individual/Sociedade Unipessoais,” especifica.  

Este levantamento económico mostra ainda que as sociedades anónimas e outras foram as maiores empregadoras, representando cerca de 35% do total do Número de Pessoas ao Serviço. Geraram também maior Volume de Negócios (58,0%) do total da faturação das empresas, em 2018. Mostra ainda que a faturação média por trabalhador foi maior em São Vicente (5. 177 contos) e menor na ilha da Brava (1.233 contos).

Já faturação média por empresas foi maior na ilha do Sal (50. 207 contos) e menor na ilha do Maio (2. 208 contos). “O Comércio (44,6), Alojamento e Restauração (16,2%) e Indústria Transformadora (9,0%) concentram maior número de empresas ativas no país. Também empregaram maior número de pessoas, 22,7%, 21,7% e 13,9%, respectivamente”, acrescenta. 

O estudo prossegue mostrando que o sector do comércio gerou cerca de 43% do total do Volume de Negócios e que a maior parte das empresas ativas são chefiadas por homens, representando cerca de 62%. Nos sectores Alojamento e Restauração, Educação e Saúde, a liderança das mulheres é mais preponderante. Termina dizendo que das 10 390 empresas ativas, 73,2% são micro, 10,6% pequenas, 13,3% médias e 2,9% são grandes empresas e que em todas as ilhas, com excepção do Maio, o número de pessoas ao serviço, do sexo masculino, é superior à do sexo feminino. 

 277 total views,  39 views today

Mortos EUA

EUA ultrapassam as 100 mil mortes de covid-19

Os Estados Unidos da América acabam de ultrapassar as 100 mil mortes associadas ao novo coronavírus. São agora 100.442, o número de óbitos que é significativamente superior ao de qualquer outro país, anunciou a Universidade Johns Hopkins.

Esta instituição do ensino superior, citada pela Agência France-Presse, revela ainda que o país regista também quase 1,7 milhões de pessoas contagiadas pela pandemia da doença provocada pelo SARS-CoV-2.

Cerca de 385 mil pessoas são consideradas curadas. Contudo, os investigadores da “Johns Hopkins” admitem que o número verdadeiro de infeções é significativamente maior. O primeiro caso de infeção no país foi anunciado no final de fevereiro.

Os especialistas desta universidade referem, no entanto, que, comparando com os quase 330 milhões de habitantes, o balanço de óbitos por milhão de habitantes nos Estados Unidos é inferior ao de vários países da Europa.

Os Estados Unidos da América e a Europa contabilizam três quartos dos cerca de 350 mil mortos registados devido à pandemia de covid-19. A nível global já foram contagiadas mais de 5,6 milhões de pessoas. Cerca de 2,2 milhões de doentes são considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus, que foi detetado no final de dezembro na província de Wuhan, na China. Rapidamente espalhou por quase todos os países do mundo, o que levou a OMS a declarar pandemia.

 304 total views,  8 views today

Reagentes

Covid-19: Reagentes deteriorados interrompem realização de análises

Desde ontem que não estão a ser actualizados os dados da Covid-19 em Cabo Verde devido a detecção de reagentes deteriorados pelo laboratorio de virologia, informou a presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública. Por causa disso e por questão de segurança, refere Maria da Luz Lima, foram suspensas a liberação de exames. 

Esta responsável explica que é fundamental que o diagnóstico seja bem feito, pelo que ao constatar que é preferível agora não liberar novos resultados, o que deverá acontecer nos próximos dias. “Esta-se a fazer tudo para, rapidamente, voltarmos a normalidade. Já foram adquiridos mais reagentes, teses e equipamentos de PCR, que deverão chegar em breve em Cabo Verde. Penso que em dois ou quatro dias, assim que tivermos esta disponibilidade e possibilidade, vamos retornar a normalidade.”

Maria da Luz Lima aproveitou para informar que as pessoas que tiveram alta tiveram resultados negativos com teses de PCR ao vírus Sars-Cov-2. Significa que, neste momento, não estão infectados. Mesmo assim, por questão de segurança, continuam a ser seguidas por 14 dias. Não devem, por isso, ter um tratamento diferenciado. “São pessoas que estão em casa e devem continuar a implementar medidas de prevenção. Isto é fundamental”, alerta a presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública.

Maria da Luz deixou ainda um apelo, realçando que já se vê mais pessoas nas ruas e estabelecimentos mas devem manter o distanciamento fisico, utilizar máscaras, sobretudo em espaços fechados e de grande aglomeração, e lavar as mão com água e sabão. Medidas que, defende, devem passar a fazer parte da rotina das pessoas. 

Quanto aos dados de hoje, o director do Serviço de Prevenção e Controlo da Doença revelou que existem quatro casos suspeitos do concelho da Praia e 329 pessoas internadas. Ontem registou-se mais um óbito, o terceiro na capital e o quarto no país, elevando a taxa de letalidade global para 1% e de pessoas com mais de 60 anos para 8,5%. Trata-se de um indivíduo de 55 anos, com outros problemas de saúde.

Jorge Barreto declarou ainda que no dia 25 foram realizados 756 testes de rastreio nos bairros da capital, mais precisamente em Achada Santo António, Palmarejo, Tira-Chapéu e outros. Foram identificados 13 resultados positivos, que terão agora de ser confirmados com testes de PCR. No dia seguinte, 26, foram realizados um total de 1227 testes na Várzea, Tira-Chapéu, Bela Vista, Terra Branca, de entre outros. 

“Destes, tivemos 19 pessoas resultado positivo e vão ter amostras de secreções respiratórias recolhidas para serem testadas pela técnica PCR”, declarou Jorge Barreto, que anunciou para amanhã a aplicação de testes rápidos em Calabaceira, Vila Nova e Achada São Filipe para as pessoas saberem se tiveram contacto com o vírus da Covid-19.  

 261 total views,  7 views today

Maurino Delgado

MDSV congratula-se com decisão do tribunal de condenar a CMSV a repor subsidio da Adeco

O Movimento para Desenvolvimento de S.Vicente convocou a imprensa para manifestar a sua satisfação pela decisão do Tribunal de condenar a Câmara Municipal a repor o subsidio anual de 500 contos à Associação para Defesa dos Consumidores, suspenso desde 2009. Maurino Delgado responsabilizou a Assembleia Municipal e os deputados do MpD que por esta “negligencia institucional porquanto não fiscalizam e nem controlam Augusto Neves, que tem estado a gerir a ilha ao seu bel-prazer. 

Este activista social recorre a lei n.88/V/89, aprovada pela Assembleia Nacional, para justificar a justeza desta decisão do tribunal de S. Vicente. Realca que esta incumbe ao Estado e às autarquias locais proteger o consumidor, designadamente através de apoio à constituição e funcionamento das associações de consumidores, bem como na prossecução dos seus fins, nomeadamente no exercício da sua actividade no domínio da formação e representação. Entretanto, exceptuando a Câmara do Sal, todos os demais município fogem desta responsabilidade, facto considerado por Delgado como um “défice de consciência desses autarcas”.

No caso da Adeco, frisa, trata-se de uma associação particular de intervenção cívica e de solidariedade social na defesa dos consumidores que promove a cidadania, o desenvolvimento sustentado e a preservação do meio ambiente, consequentemente de interesse público e colectivo. “A Adeco é hoje uma entidade insubstituível na vida dos cabo-verdianos”, pontua Delgado, realçando que, a par da Adeco, ficaram sem subsidio o Centro de Recuperação Nutricional e a Escola de Karaté dirigida por Zeca, duas reconhecidas instituições que cuidam da qualidade de vida das pessoas. 

“Esta decisão nunca poderá ser justificada por falta de recursos porque estes nunca faltaram para toda a espécie de festivais, carnavais, bailes, tocatas na Rua de Lisboa e outras despesas menos importantes e menos prioritárias”, afirma este nosso interlocutor, que não tem duvidas que se está perante uma situação de negligencia institucional, em que as instituições Presidente e Câmara Municipal, não cumprem com as suas obrigações, numa gestão abusiva, incompetente e perversa. “Estes subsídios não são despesas, mas sim investimentos”, acrescenta Delgado. 

Este deixa claro ainda que o conflito da Adeco e da CMSV não precisava ir ao tribunal se a Assembleia Municipal e os deputados do MpD tivesse fiscalizado e controlado institucional e politicamente o presidente, como a lei estabelece. “Em S. Vicente o poder está concentrado nas mão do presidente. Augusto Neves capturou o poder local, gerindo o Município a seu jeito e belo prazer. O fenómeno Augusto é uma prova da nossa incapacidade de gerir o nosso município. Estamos perante uma crise política e social em que os partidos políticos não estão com capacidade de escolher pessoas mais capazes para dirigir os interesses colectivos”, completa. 

Em jeito de remate, este activista faz um apelo para, juntos, avaliarem o desempenho dos Órgãos Municipais e para desmontar os discursos fastidiosos e falaciosos do presidente. Aproveita ainda para convidar os cidadãos, a Sokols 2017, os sindicatos e  as organizações da sociedade civil para fazerem uma manifestação a favor da Adeco para mais e melhor justiça, sobretudo porque a CMSV já manifestou intenção de recorrer da decisão do Tribunal da Comarca de São Vicente. Sugeriu ainda as universidades a debaterem a importância das Organizações da Sociedade Civil no processo de desenvolvimento do país, com destaque para a Adeco.

 246 total views,  19 views today